sábado, 13 julho, 2024
spot_img
InícioSaúdeCinco passos para evitar a síndrome do pescoço tecnológico

Cinco passos para evitar a síndrome do pescoço tecnológico

O problema não é grave e tem solução, mas algumas dicas de. Antonio Araújo, neurocirurgião, pode ajudar a evitar a famosa “tech neck”

Você já ouviu falar em “tech neck”? Na tradução para o português, o “pescoço tecnológico” é uma deformidade provocada pelo abuso no uso de celulares e smartphones. Mais especificamente, esse excesso pode causar surgimento de papada e rugas nos pescoços e, ao contrário do que se pode imaginar, o problema não afeta somente jovens, mas indivíduos de todas as faixas etárias.
De acordo com a YouGov, instituição de pesquisa do Reino Unido, 53% dos usuários de celulares se sentem ansiosos quando não podem usar seus smartphones. No mesmo estudo, mais da metade dos entrevistados respondeu que nunca desligam seus telefones. “O vício em tecnologia, que é bastante comum e vem crescendo, pode agravar ou até mesmo causar problemas na coluna cervical, gerando dores e outros malefícios. Afinal, a pessoa fica por longo período olhando para baixo, com uma postura inadequada”, explica o neurocirurgião Antônio Araújo, da clínica Araújo & Fazzito.
Ainda de acordo com Araújo, o hábito de ficar com a cabeça baixa, olhando para a tela do celular, acelera o processo de envelhecimento e, mais do que isso, acaba gerando problemas posturais a longo prazo.
Pensando nisso, o especialista listou algumas dicas para evitar esse problema:

Ponha um limite de tempo para usar o celular
De acordo com o especialista, é importante colocar limite de tempo para usar o celular e, assim, minimizar os danos. “Como dito anteriormente, é muito problemático ficar muito tempo com a postura errada e se você tiver um limite de uso do smartphone, essa exposição ao que faz mal fica menor”, explicaAraújo.
Hoje em dia, os próprios celulares podem ser programados para esse tipo de controle através de aplicativos ou da própria configuração do aparelho.

Fracione seu tempo
Em muitos casos não é possível minimizar o tempo de uso do celular, principalmente por conta do trabalho, então o ideal é fracionar esse tempo. Ou seja, quando você perceber que já está há muitas horas com a postura errada, levantar, dar uma caminhada, largar um pouco seu aparelho e arrumar sua posição.
“Fazendo isso, você fica menos tempo na postura errada, levanta, o que é muito bom para a circulação também, e retoma seu trabalho arrumando a posição novamente”, recomenda ele.

Preste atenção na sua postura
Uma postura correta é fundamental para evitar problemas como o “tech neck” e é por isso que o neurocirurgião indica que você esteja sempre alerta à posição do seu pescoço e coluna. “Isso é importante para treinar seu corpo para que ele esteja sempre na postura correta. Depois, isso passa a ser mais natural”, explica o médico neurocirurgião.

Pratique atividade física
Fundamentais para manter a saúde em dia, os exercícios físicos também são ótimos para evitar problemas posturais e, consequentemente, deformidades como a do pescoço tecnológico. “Prática de exercícios como musculação, pilates, entre outros, ‘ensinam’ o corpo a estar sempre com a postura correta, mas é importante sempre ser acompanhado por um profissional”, alerta Araújo.

Dor não é normal. Procure um médico
“É sempre bom ressaltar que nenhuma dor é normal e costuma significar que alguma coisa está errada. Por isso, caso comece a sentir alguma dor, procure um médico para investigar a razão e já começar um tratamento”, opina o especialista.
Vale lembrar também que, quanto antes uma doença ou deformidade seja avaliada pelo especialista, mais fácil de curar. “O prognóstico costuma ser sempre melhor quando o problema é detectado e tratado de forma correta desde o início, por isso é preciso ficar atento”, finaliza.

Anselmo Brombal
Anselmo Brombalhttps://jornaldacidade.digital
Anselmo Brombal é jornalista do Jornal da Cidade
RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- publididade -spot_img

POPULARES