segunda-feira, 17 junho, 2024
spot_img
InícioJundiaíCom um caso suspeito, Jundiaí alerta para a vacinação contra sarampo

Com um caso suspeito, Jundiaí alerta para a vacinação contra sarampo

A Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) alerta sobre a importância da vacinação com a tríplice viral, que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. Jundiaí investiga um caso suspeito de sarampo e aguarda confirmação de resultados de exames, o que deve sair na próxima semana. No Município, os últimos registros da doença ocorreram em 2019, quando o Estado de São Paulo sofreu um surto e a cidade contabilizou 118 casos.
O paciente suspeito é uma criança de 4 anos. Neste momento, ela está com a saúde reestabelecida e fora do período de transmissão. De imediato, após a notificação, a Vigilância Epidemiológica iniciou as ações de investigação dos contatos da criança.
“O sarampo é uma doença de notificação obrigatória e, assim que recebemos o caso suspeito, realizamos todos os procedimentos preconizados pelo Ministério da Saúde para evitar possíveis contaminações. Ainda estamos no aguardo da confirmação, mas seguimos atentos à possibilidade de casos na cidade e lembrando a importância da imunização. A vacina é a forma mais eficaz de prevenir. O sarampo é uma doença viral e potencialmente grave”, ressalta a enfermeira e coordenadora da VE, Maria do Carmo Possidente.
No Município, a cobertura vacinal com a tríplice viral, até o momento, é de 87,51% para primeira dose e 76,02% para a segunda. Em 2022, foi de 86,3% para D1 e de 72,06 % para D2. A vacina deve ser aplicada em duas doses a partir de um ano de vida da criança até 29 anos. Já as pessoas de 30 a 59 anos (nascidos a partir de 1960) devem receber uma dose. A UGPS disponibiliza a vacina em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Clínicas da Família, em horário de atendimento das salas de vacinação.
“É fundamental a conscientização da população para aumentarmos a cobertura vacinal contra essa e outras doenças. Temos que fazer a nossa parte e buscar as imunizações para não vermos a volta de doenças”, alerta o gestor de Promoção da Saúde, Tiago Texera.
O sarampo é transmitido por secreções das vias respiratórias, como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. O período de incubação, ou seja, o tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, é de cerca de 12 dias. Entre os sintomas estão: tosse, coriza, olhos inflamados, dor de garganta, febre e irritação na pele com manchas vermelhas.

Anselmo Brombal
Anselmo Brombalhttps://jornaldacidade.digital
Anselmo Brombal é jornalista do Jornal da Cidade
RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- publididade -spot_img

POPULARES