quinta-feira, 30 maio, 2024
spot_img
InícioSaúdeLúpus e Fibromialgia: doenças chamam a atenção para a saúde da mulher

Lúpus e Fibromialgia: doenças chamam a atenção para a saúde da mulher

Conhecido pela cor roxa, o mês de fevereiro é voltado para o combate de doenças reumáticas, como o Lúpus e a Fibromialgia. O calendário colorido da saúde, que contempla as campanhas de conscientização sobre as doenças ao longo do ano, é responsável pela promoção do diálogo e incentivo ao diagnóstico precoce das patologias. As informações sobre as condições abordadas neste mês não são desconhecidas, mas chamaram atenção da população após artistas como Selena Gomez e Lady Gaga compartilharem suas experiências no enfrentamento das doenças. O médico reumatologista do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV) José Celso Giordan Cavalcanti Sarinho, fala sobre prevenção, sintomas e tratamentos. O Lúpus é uma doença multissistêmica e autoimune. Pode acometer qualquer órgão e sistema, principalmente e mais frequentemente a pele e a articulação. Em casos mais graves, também pode acontecer o acometimento renal e do sistema nervoso central. As doenças autoimunes englobam diversos problemas de saúde que acontecem quando há alterações no sistema imunológico. Assim, ele não consegue mais diferenciar o que faz parte do corpo humano do que é um elemento estranho e potencial ameaça. “A condição é mais comum em mulheres em idade fértil, entre 15 e 45 anos, porque está altamente relacionado ao estrógeno, hormônio predominante em mulheres. Outro fator considerável é a predisposição genética, quando o indivíduo possui probabilidade aumentada de desenvolver uma determinada doença, herdada de um dos pais, geralmente”, aponta José. Os sintomas são variáveis e podem incluir febre; perda de peso; lesões na face causadas pela exposição à radiação ultravioleta; dor articular; fadiga; alterações neurológicas e neuropsiquiátricas como crise convulsiva; alteração de comportamento; transtorno de ansiedade grave; e dor de cabeça que não responde a nenhum medicamento. Já na parte renal, o indivíduo pode apresentar inchaço nas pernas e nos olhos; urina espumosa; diminuição do volume urinário; e hipertensão. “Para prevenir a atividade da doença, a pessoa deve abolir o uso do tabaco; não utilizar hormônio estrógeno e, se necessário, junto com um ginecologista e reumatologista, utilizar o progestagem; e não se expor a radiação ultravioleta, principalmente entre 10h e 16h. As formas de tratamento se baseiam principalmente no uso de imunossupressores ou imunomoduladores. Nas formas graves e ameaçadoras da vida, deve-se realizar uma imunossupressão potente, com corticoide em altas doses e outros agentes imunossupressores e, depois, na terapia de manutenção, utilizar outras drogas em doses mais baixas”, explica o reumatologista. Fibromialgia A doença reumatológica afeta a musculatura causando dor ao portador da síndrome. Assim como o Lúpus, a fibromialgia tem maior incidência em mulheres, chegando ao registro de nove mulheres acometidas para cada homem, com faixa etária dos 30 aos 60 anos. De acordo com o especialista, não existe uma área do corpo que seja mais afetada, mas a dor é intensa. “Os sintomas, predominantemente, são dores difusas pelo corpo nos quatro quadrantes. É uma doença que se relaciona fortemente com alimentação, vitaminas, distúrbio do sono, transtorno de ansiedade e transtorno depressivo”. Não consta na literatura nenhuma forma comprovada de prevenção da doença. Ainda assim, os profissionais estimulam a prática de atividades físicas para alívio das crises ou agravamento do quadro. “O tratamento é baseado no uso de antidepressivos, não necessariamente para tratamento de depressão, mas para ajuste das doses de serotonina e norepinefrina, responsáveis por influenciar na ansiedade, humor, sono e alimentação. Também é recomendado o uso de analgésicos simples e, eventualmente, opioides. O uso de anti-inflamatório e corticosteroide deve ser evitado, por não se tratar de uma doença inflamatória”, explica o médico. O diagnóstico é baseado na história clínica de exame físico, excluindo outras doenças que possam simular a fibromialgia, como neoplasias, tumores, outras doenças inflamatórias; distúrbios do cálcio; e distúrbios da tireoide. Em caso de sintomas, a pessoa deve sempre procurar por atendimento médico.

Anselmo Brombal
Anselmo Brombalhttps://jornaldacidade.digital
Anselmo Brombal é jornalista do Jornal da Cidade
RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- publididade -spot_img

POPULARES